Blog Inbeauty Day

23 dez

Roer unhas: um hábito que pode adoecer

Mais que mau costume, roer unhas pode ser indicativo de um quadro mais grave, como compulsão e ansiedade!

O hábito tem nome: onicofagia – e pode ser mais prejudicial do que simplesmente acabar com a estética das unhas. A onicofagia faz parte da Classificação  Internacional de Doenças e Problemas Relacionados a Saúde (CID-10). Sua descrição pela CID garante que a “mania” é, na verdade, um distúrbio emocional.

Muito além do pano de fundo emocional, roer as unhas pode causar uma série de complicações para a saúde. O problema mais frequente é a exposição das cutículas (e até mesmo da pele) à entrada de fungos e bactérias que causam micoses e infecções e até mesmo vírus como HPV. Também são comuns inflamações na garganta e gengivite – graças ao contato das unhas com todo o tipo de sujeira ao longo do dia.

O hábito começa, geralmente, aos quatro ou cinco anos de idade, mas também pode aparecer na fase adulta. Em alguns casos, é mais difícil parar de roer as unhas do que largar o cigarro. Como solução, surgem algumas manipulações, como óleos que podem ser indicados pelo dermatologista para acabar de vez com o problema.

Em outros casos, em que se faz necessário o auxílio de um psiquiatra, podem ser recomendadas dosagens de antidepressivos – indicação para casos mais complexos. A vitamina B, fonte de energia para o organismo, também é usada no combate – já que regula o nível de serotonina no cérebro e alivia o estresse.

Se você rói ou conhece alguém que não consegue manter as mãos longe da boca saiba que é possível mudar! Médicos ou mesmo soluções alternativas, como meditação, favorecem o autocontrole. Lembre-se,  a sua beleza vem de dentro para fora! Está em alta quando você encontra paz e bem-estar.

Para saber mais sobre cuidados com a sua saúde, continue acompanhando o nosso blog. E para você que precisa de um incentivo para parar de roer unhas, que tal dar uma olhada nas tendências de esmaltes para o verão! 😉